Filmes

O Lobo de Wall Street

Apesar de muitas qualidades, o novo filme de Martin Scorsese, com toda a certeza, se sustenta com a estonteante interpretação de Leonardo DiCaprio. O ator, que deslanchou em Hollywood justamente com os papeis interpretados em vários filmes do diretor veterano, prova que amadureceu não apenas como sujeito, mas também como profissional do cinema – e de um cinema de classe.

O Lobo de Wall Street conta a história de Jordan Belfort, um jovem que deseja se tornar um grande corretor em Wall Street e, com isso, enriquecer. Logo em seu primeiro dia como corretor oficial, Belfort tem o azar de iniciar sua carreira quando acontece a Black Monday, episódio histórico em que as bolsas de valores de diversos países caíram drasticamente, algo que não acontecia desde o crack da Bolsa de Nova York, em 1929. Desanimado com sua falta de sorte, Jordan acaba encontrando uma pequena firma com corretores que trabalham fora das altas ações do chamado “pregão” de Wall Street, telefonando para clientes que investem em empresas pequenas e medíocres. A diferença, no entanto, é que a comissão paga para os corretores é de 50%. Quando Jordan recebe essa informação, imediatamente sua ambição faz o dois mais dois necessário para entender que ele pode enriquecer muito… enganando os clientes.

Imagem: Paramount Pictures, 2013

Imagem: Paramount Pictures, 2013

Seria um filme comum se não estivesse nas mãos de Scorsese. Experiente como narrador da sétima arte e à vontade para trabalhar principalmente com um ator com quem já possui muitas colaborações, o diretor chega a escarnecer do público através do protagonista interpretado por DiCaprio. Em certos momentos, enquanto explica a função de um corretor de ações, Jordan, dirigindo-se diretamente para a câmera e ignorando completamente a quarta parede, interrompe o que está dizendo para rir da nossa cara e falar: “deixa pra lá, vocês não vão entender mesmo!”. Isso e diversos outros detalhes podem ser notados durante toda a projeção, provando que Martin Scorsese deseja contar a história através dos elementos que compõem seu filme, seja com o protagonista, seja com o uso de slowmotion ou seja com a montagem dinâmica, irônica e, na maioria das vezes, engraçada que o diretor emprega paralelamente com narrações em off, especialmente as de Jordan.

Aliás, se a interpretação de Leonardo DiCaprio é a base para O Lobo – tendo os demais personagens e até as próprias situações que girar em torno do protagonista, tornando-o o buraco negro que engole todos os detalhes ao redor (em um bom sentido, é claro) -, as narrações que o ator faz durante as três horas de filme são as responsáveis em guiar o público através da loucura que se torna a vida de Jordan Belfort depois que este enriquece devido às suas falcatruas. E essas narrações não apenas contarão literalmente o que está se passando na tela, mas também fazer ilustrações, observações, apontamentos e críticas (ácidas, em sua maioria). É, consequentemente, o que torna O Lobo de Wall Street um filme engraçado. Mas atente: sua intenção não é ser uma comédia. A todo instante, Martin Scorsese faz questão de enfatizar ao público as situações absurdas que são responsáveis pelo humor que atinge os espectadores.

Imagem: Paramount Pictures, 2013

Imagem: Paramount Pictures, 2013

E, da mesma maneira que Belfort vai se tornando um sujeito esgotado fisicamente devido às constantes farras que promove, todas regadas com muito sexo e com muitas (mas MUITAS) drogas, o público vai, em um paralelo, se cansando. Não que as três horas de O Lobo de Wall Street demorem pra passar, pelo contrário: a história e a edição do filme são tão alucinógenas e desvairadas, que em um piscar de olhos os 180 minutos de projeção se vão. Mas é fisicamente possível sentir um cansaço mental após acompanharmos a história de Belfort. É como se, por três horas, o público tomasse uma quantidade absurda de drogas e, após tudo consumado, voltasse à realidade, sentindo o peso do mundo e das pessoas à sua volta. Exatamente como Jordan se sente quando está sóbrio, fato que o leva a afirmar, a certo ponto do filme, que a realidade é horrível, fazendo-o sentir vontade de se matar. E é assim, mais uma vez, que os espectadores experimentam o filme, e não apenas o assistem, sendo tragados pelos truques cinematográficos infalíveis de Martin Scorsese. E é assim que se leva um certo tempo para digerir tantas informações exploradas de maneira tão certeira e criativa.

Relevante também comentar a pequena participação de Matthew McConaughey, que interpreta o primeiro chefe de Jordan em Wall Street. Em apenas uma cena, o ator consegue ofuscar a presença de Leonardo DiCaprio, entregando uma interpretação afiadíssima, carregando todo o personagem que deve interpretar apenas com sua voz e ganhando as risadas sinceras do público em questão de segundos. O mesmo se diz de Jonah Hill, comediante carismático que aproveita seu timing excelente com piadas para transformar as cenas em que está presente em situações absurdas, embaraçosas e, em alguns momentos, até dramáticas.

Imagem: Paramount Pictures, 2013

Imagem: Paramount Pictures, 2013

Seria difícil não elogiar tanto um filme como O Lobo de Wall Street quando este é visivelmente realizado com cuidado em todos os seus aspectos, mostrando que uma obra cinematográfica não deve ser composta apenas por um texto bom ou atuações marcantes, mas que tenha um conjunto sólido e harmonioso entre todas as camadas, tornando-se uma experiência genuína para o público. Não é surpreendente se algumas pessoas não suportarem a metralhadora de informações, imagens e atuações que o filme dispara de dentro da tela. Ao fim, é preciso ter consciência que O Lobo de Wall Street não é apenas um filme, mas uma experiência sensorial excelente.

Pôster: BLT Communications

Pôster: BLT Communications

The Wolf of Wall Street, dirigido por: Martin Scorsese; escrito por: Terence Winter (baseado na obra de Jordan Belfort).

Com: Leonardo DiCaprio, Matthew McConaughey, Jonah Hill, Margot Robbie.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s